terça-feira, 8 de junho de 2010

"Heat" - Fogo contra Fogo - (1995)

Michael Mann é um diretor meticuloso que trabalhou vários anos no roteiro desse filme, inclusive, antes das filmagens fez os atores passarem por treinamento de tiro, conversarem com “profissionais” da área, ladrões de banco, esposas de presidiários, acompanhou de perto o trabalho de um detetive, entre outras coisas. Essa dedicação de alguém que precisa fazer isso, realizar o filme a todo custo da melhor maneira possível é o que passa o status de obra-prima.

“Fogo Contra Fogo” é a saga de dois homens em lados opostos da lei que se admiram e se reconhecem como os melhores no que fazem. Neil McCauley (De Niro) é líder de um bando de assaltantes que depois de um assalto a um carro forte passa a ser perseguido pelo tenente Vincent Hanna (Pacino) até o confronto final entre os dois.

As cenas de ações são muito bem realizadas, assim como também são destaques: a composição de fotografia, cenários, trilha, elenco, mas a qualidade que mais se sobressai é a construção dos personagens do De Niro e Pacino.

A maneira como o filme se aprofunda nos detalhes para a composição dos personagens, nas semelhanças e nas diferenças entre os dois ao longo do filme é que cria a grande tensão para o confronto final.

No começo do filme é mostrado Neil McCauley no auge de sua carreira, imbatível, porém um solitário, alguém que não consegue se envolver com ninguém e por isso o seu sucesso, enquanto se mostra seu “duplo” Vincent Hanna, incapaz de deixar de relegar seu relacionamento como segunda importância da sua vida. Enquanto o filme progride, Hanna percebe que não se pode ter uma família, um relacionamento, quando ele finalmente assume sua condição de solitário, ele consegue capturar McCauley, enquanto esse último inicia um relacionamento e começa a fazer concessões que são a causa de sua perdição. Até mesmo a atuação dos dois é intencionalmente contraditória, enquanto De Niro parece um sociopata, rígido sem nenhuma emoção, Pacino atua como um viciado em cocaína, “ligado” exagerando um pouco acima do tom.

A cena que é síntese do filme todo, ocorre justamente na metade do filme, quando pela primeira vez contracenam juntos De Niro e Pacino, ao invés do grande confronto que todos esperam, eles se sentam calmamente para tomar café e conversam. Como um monólogo interior de uma pessoa dividida, eles estão curiosos sobre as motivações, a vida do outro, e partilham seus sonhos recorrentes e a incapacidade de se envolver com alguém, então eles sabem e dizem um ao outro que da próxima vez que se verem será a última.

Como tenho escrito sobre filmes recentes, resolvi escrever sobre um antigo, mas dos melhores policiais que já assisti. Embora seja de 1995 não invalida o trabalho do diretor, roteirista e atores. Primeiramente, sou fã dos protagonistas e mesmo que não fosse, não há como negar suas atuações e envolvimento com seus personagens, que muitas vezes parecem reais.

Dupla perfeita, enredo sem tropeços e final... Deixo para vocês pensarem como gostariam que fosse o desfecho dessa história. Nada mais de relevante a ser escrito. Ele é muito bom!

Recomendo aos amantes e não amantes (rsrs), de filmes policiais.

FICHA TÉCNICA:
Título Original: Heat - Fogo Contra Fogo
Gênero: Policial
Direção: Michael Mann
Duração: 2h54
Ano de lançamento: 1995
Atores: Al Pacino, Robert De Niro, Val Kilmer, Jon Voight , Tom Sizemore, Diane Venora, Amy Brenneman, Ashley Judd, Ted Levine, William Fichtner, Natalie Portman.

2 comentários:

Daluz disse...

Gostei muito do seu blog e também dos seus comentários. Acho que temos um gosto parecido.
Bom espero outros comentários para eu saber o que vale a pena assistir ou não :).
Falando em filmes antigos (que na minha opinião prezavam muito mais pelas história e por isso geralmente eram melhores) sito um aqui que é muito bom "A FIRMA" com Gen Hackman e Tom Cruise.

Um recente que recomendo é PRESSÁGIO com Nicolas Cage.
Abs

Analusb disse...

Dilza, vamos atualizar! Escreva mais! bjo